O Ministério Público vetou a continuidade do Campeonato Paulista, dentro do Estado, enquanto São Paulo estiver na Fase Emergencial. A Federação tratava o caso com pessimista, mas ainda acreditava em uma reviravolta. Por outro lado, O Governo optou por ‘limpar as mãos’ e jogou a ‘batata quente’ no colo do MP, que tomou uma decisão na noite desta segunda-feira.

Membros da Federação Paulista de Futebol estiveram reunidos com o Governo do Estado, na manhã desta segunda-feira, que preferiram deixar a decisão na mão do Ministério Público. A entidade tentou provar a segurança do torneio em meio ao auge da pandemia da covid-19, mas não obteve sucesso.

O Governo Doria colocou São Paulo na Fase Emergencial por 15 dias e vetou os esportes coletivos. Com isso, a Federação já alinhou um plano B e Minas Gerais é quem aparece como favorito para sediar o torneio. Vale lembrar que o Estado está na ‘Onda Roxa’, mas, por meio da Federação Mineira, confirmou a continuidade do estadual. O Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, também deu aval para realização do Paulistão.

A proximidade levou a Federação levar o jogo entre Palmeiras e São Bento na Arena Independência, na próxima quarta-feira.

REUNIÃO
A Federação irá reunir nesta terça-feira com os clubes das principais divisões do Estado para definir uma solução em cima da proibição por parte do Ministério Público. A entidade deverá bancar o deslocamento, prejuízo já admitido pelo presidente Reinaldo Carneiro Bastos.

COVID
São Paulo já confirmou 2 milhões de casos de covid-19, com 64.123 mortes.

Retirado de: Futebol Interior